Notícias atualize-se e recomende!

Seminário abre nova fase no planejamento estratégico sustentável 06/06/2014

Ao discursar na cerimônia de abertura do I Seminário “Planejamento Estratégico Sustentável do Poder Judiciário”, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Felix Fischer, disse que sustentabilidade implica uma relação de justiça social, de equilíbrio ambiental e econômico que envolve uma nova forma de enxergar o mundo e um diálogo permanente inspirado na busca de um mundo com melhor qualidade de vida.

O seminário, promovido nesta quinta-feira (5) pelo STJ, reuniu representantes de diversos órgãos públicos para debater um modelo de administração sustentável – que, segundo Fischer, deve ser calcado no consumo eficiente, na redução dos impactos e em práticas ecoeficientes voltadas para a promoção da cidadania.

Para o presidente do STJ, inserir critérios de sustentabilidade no planejamento estratégico da administração pública permite aos gestores associar os recursos disponíveis às necessidades da instituição e colocar em prática melhorias contínuas que aumentarão a produtividade e a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos.

CNJ

Falando em nome do Conselho Nacional de Justiça, a ministra do Tribunal Superior do Trabalho Maria Cristina Peduzzi ressaltou que o planejamento sustentável ganhou especial relevância no âmbito do Poder Judiciário, que vem consolidando uma cultura de gestão estratégica que inclui políticas de responsabilidade socioambietal e participação de magistrados, servidores e da sociedade.

“Não há como pretender o alcance da eficiência operacional sem a racionalização do uso dos recursos naturais, e nesse contexto é indiscutível o papel do poder público na construção de uma sociedade mais inclusiva”, afirmou a ministra, lembrando que a administração pública é um grande consumidor de recursos naturais.

Ela destacou a crescente adesão e mobilização dos órgãos da Justiça na implantação de políticas ambientais. Enfatizou a importância do seminário para o intercâmbio de experiências e de novas práticas que poderão ser inseridas no planejamento estratégico do Poder Judiciário dentro de um modelo descentralizado e colaborativo de gestão.

AGU

Para o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, o estado brasileiro tem sido muito atento à questão da sustentabilidade, mas ainda resta uma longa caminhada pela frente. “Ainda vivemos os efeitos da falta de ações de sustentabilidade. Temos de mudar nossa realidade de consumo e aprender a consumir menos água, menos energia, menos papel. Esse é o grande desafio”, afirmou.

Ele também enfatizou que o seminário promovido pelo STJ terá um papel significativo na mobilização dos três poderes da República para que se possa avançar ainda mais nessa caminhada.

O I Seminário “Planejamento Estratégico Sustentável do Poder Judiciário” é uma realização do STJ em parceria com o Conselho Nacional de Justiça, o Conselho Superior da Justiça do Trabalho e o Ministério do Meio Ambiente, entre outras instituições.